Como sobreviver à crise no azul


Se você não está familiarizado com o tema, o planejamento orçamentário nada mais é do que um plano financeiro estratégico que engloba a previsão de receitas e despesas de um período, por meio de estimativas e metas de resultados. Direciona seus olhos para o futuro, mas pode usar recorrências no passado para defini-lo, esse plano de referência deve estar alinhado com os objetivos estratégicos da empresa, é o orçamento estruturado da empresa que dá a palavra final sobre a viabilidade daquele investimento em novas filiais; sobre a necessidade de promover um downsizing; sobre o que deveria ser cortado na empresa.


Auxílio na fixação de metas desafiadoras

Através de meta de vendas, previsão de limites máximos para despesas de material de consumo, metas de redução de custos variáveis e redução de margem de endividamento a empresa constrói um norte para alcance de seus objetivos estratégicos.

Apoio na tomada de decisões

Ter diagnósticos rápidos sobre a situação da empresa permite a ela se movimentar algum tempo antes de sua concorrência, o que, em última análise, pode evitar perda de clientes, redução de faturamento e etc.

Criação de um banco de dados de informações financeiras, armazenadas por período

No médio e longo prazo, o grande benefício de ter uma cultura de gerenciamento orçamentário é criar um imenso banco de dados que revele o comportamento de receitas e despesas ao longo do tempo, o que reduz a imprevisibilidade da circulação financeira da empresa.

Controle de responsabilidade dos gestores

O orçamento empresarial é formado pelo conjunto de orçamentos de cada área da empresa, o que significa que todos os gestores devem ser envolvidos na fixação, acompanhamento e prestação de contas das metas acordadas juntamente com seus superiores.

Ganho de autonomia para cada área

O orçamento deve ser montado com a soma das previsões orçamentárias de cada setor, esse detalhe assegura maior independência entre os setores e, ao mesmo tempo, maior possibilidade de controle sobre a performance financeira de cada núcleo.

Diferenças entre custo X despesa X perda

Custo

Todos os gastos ligados à fabricação de um produto ou prestação de um serviço são denominados “custos”. Estes são divididos em custos diretos (mão de obra e matéria-prima) e indiretos (energia elétrica e aluguel por exemplo).

Despesa

Todo consumo de bens ou serviços vinculados à obtenção de receita.

Perda

É todo gasto involuntário, como um incêndio que eventualmente venha a destruir todo o maquinário de uma indústria. Seria o oposto do ganho.

O que levar em consideração no planejamento orçamentário?

- É ideal que o acompanhamento seja feito mês a mês, para fazer ajustes de curso;

- O planejamento orçamentário envolve projeção de cenários, definição de objetivos, avaliação de ameaças e oportunidades, identificação dos pontos fortes e fracos da empresa;

- Após ser escolhido o melhor modelo para a empresa, o desafio é preenchê-lo com informações como projeção de vendas, despesas variáveis e fixas, custos de produção e investimentos

- A partir disso, é possível simular diversas possibilidades de mudança em relação ao cenário atual, para entender os impactos que a empresa pode sofrer com elas;

- Separe o orçamento empresarial dos seus gastos pessoais não misture suas contas pessoais com as contas empresariais. Tenha contas bancárias separadas.

Como elaborar um bom orçamento?

Sua empresa precisa vender o suficiente para suplantar os custos e, assim, gerar lucros que subsidiarão seu próprio crescimento. Dessa forma, para iniciar um planejamento orçamentário, o ponto principal é saber estimar corretamente quanto sua empresa pode vender em um período. Existe ainda uma fórmula famosa para estimar volume de vendas de produtos ou serviços

V=P*FC*VPC, onde: V= Volume de vendas P= Penetração (quantidade provável de cliente que irão comprar seus produtos em um determinado período) FC= Frequência de compra VPC= Volume adquirido em cada compra